(in)despertar

Quantos de nós fazem o que sonham quando estão dormindo?

Estou falando de sonhos mesmo, não um carro, uma casa, uma viagem, ou sei lá o que de mais óbvio que você almeja. Mas sim do sonho, de alguma maneira obscuro, que está lá bem no fundo das nossas cabeças. Dali emergem até a superfície teus desejos mais sórdidos, teus medos, tuas negações, teus prazeres mais deliciosos, porém, muitas vezes, destrutivos se fossem colocados na prática, ao acordar.

Eu tive um sonho assim agora, um sonho engasgado, com situações que me sensibilizaram tanto que acabei acordando frágil e à flor da pele. E para me deixar estar assim só em sonho mesmo, por mais que a sensação seja tão gostosa…

A vida acordada não tem lugar para estes sonhos?
Ás vezes eu queria que tivesse. Simplesmente despertar e sair como personagem no mesmo ambiente no qual acabei de sonhar.

Acontece que sonhos são visualizações de apenas uma cabeça. O que fazer com as outras que não estão acompanhando…?

Anúncios

desejo

Tu quer ser só meu?

cantar para te tocar

O Bonde do Dom

Marisa Monte

Composição: Arnaldo Antunes / Carlinhos Brown

Novo dia
Sigo pensando em você
Fico tão leve que não levo padecer
Trabalho em samba e não posso reclamar
Vivo cantando só para te tocar

Todo dia
Vivo pensando em casar
Juntar as rimas como um pobre popular
Subir na vida com você em meu altar
Sigo tocando só para te cantar

É o bonde do dom que me leva
Os anjos que me carregam
Os automóveis que me cercam
Os santos que me projetam
Nas asas do bem desse mundo
Carregam um quintal lá no fundo
A água do mar me bebe
A sede de ti prossegue
A sede de ti…

http://www.youtube.com/watch?v=KxPlhYMmU7E

sem caminho do meio

o que me atrai me faz sofrer.

vago

meu último cigarro.

o pensamento? não largo.

só pra constar

carrego o passado nos braços, e nem sabia.

tem alguém aí?

visito lugares estranhos aqui dentro.
e faço apostas comigo mesma.
perco todas.

estes lugares parecem gritar por atenção.
e me puxam cada vez mais para eles.
sem perceber, rapidamente caio fora.

círculo viciante

eu vou; você vem
eu ouço; você pede
eu quero; você quer
eu espero
você, você, você

eu…! ahhh
je ne t’aime plus, mon amour

eu quero; você pensa
eu peço; você pensa
eu afirmo; você envolve, novamente

eu avanço; você trava
eu me jogo, você deixa cair
eu morro.

eu…! ahhh
je ne t’aime plus, mon amour

eu vou…

Fabrício Carpinejar responde

Ele precisava realmente de você naquela hora difícil, somente naquela hora.

Não caracterizaria o sujeito de canalha, parece ser extremamente carente, em desvalia e acostumado a não dar o que recebe.

Experimentou uma relação fantasma. Você viva e ele morto. Ambos tentando se comunicar. Mas o defunto não tem futuro, só passado. Suas ações são retrospectivas. 

O que me atormenta nos dias de hoje é o orgulho. É um desaforo pedir desculpa porque lembra submissão. É um disparate aceitar uma mudança porque soa como falta de personalidade. É um despropósito pensar pelo outro porque é autoritarismo. Quem merece ser cobrado se antecipa e cobra por ser cobrado. Não dá para fazer uma crítica que é o mesmo que não gostar. Contrariar é desrespeitar. Desejar ficar mais junto é tirar a liberdade.

Vejo muita afetação e pouco afeto.

A maioria somente procura o melhor para si, não para o relacionamento.

Os encontros são mais coincidências do que verdade.

Pedimos tanto espaço para respirar que os casais nem mais moram em casas separadas. Chegam a morar em mundos diferentes. Há mais um desejo de amizade do que de amor. Logo mais e a amizade vira coleguismo.

Paixão é empréstimo – somente pode ser paga com amor. Luís se mostra inadimplente. Terá infinitamente uma válvula de escape: o trabalho, crises, ex. Ensaia aproximação quando fragilizado, é rude quando se recupera e desaparece quando deveria sinalizar comprometimento. Não duvido que esteja se sentindo usada. Houve toda uma carga de sofrimento e doação que não foi correspondida.

Quando tentamos administrar o sentimento, o namoro está falido. Não existe como gerenciar a vida alheia ou acomodar expectativas antigas com as novas.

Ele foi tão ruim contigo que qualquer coisa que oferece – seja um telefonema, seja um olhar mais fixo – já está realizada. Diminuiu incrivelmente sua exigência, a ponto de encher seu depoimento de reticências.

Sei que gostaria que aconselhasse a insistir, mas ele morreu antes que vocês se conhecessem. Pode enterrar, caso ainda queira pagar o velório.

Beijo
Fabro

Dani, meu divã

Conversa amiga. Ela falando sobre mim, para mim:

tu tem uma coisa de essência muito bonita
aí é ALMA

mas isso ficou à sombra de uma pilha muito forte, uma alegria muito grande que parece até que tu não chora, não sofre, não sente  vende essa imagem poderosa de forte

que tem que te conhecer um pouco mais pra comprovar que tu é maravilhosa, nêga

que tu é essas coisas boas da vida

—————————————————————-

penso, agora.

« Older entries